Sgarbe para Cida; Carta dois

Cida, hoje é sábado, e é também uma véspera importante para os que acreditam na ressurreição dos mortos. Não há coincidência nisto: que tenhas uma celebração pessoal no dia do descanso sagrado. Quanto penso em ti, tenho vantagens demais, quais sejam as felicidades e os desejos que me proporcionas com bondade. Tem tantos anos isso, sem contar os tempos que estão fora do relógio.

Tens, minha querida amiga, em tua maior parte, uma consciência tão plena de que o mundo está girando do jeito que deve, e de que é preciso seguir daqui pra frente, que transformas essa consciência em algo que me serve pelo menos duas vezes (primeiro, um fragmento para o progresso espiritual; depois, que lembro de ti, para dar um exemplo, toda vez que me embolo no texto — um aspecto prático da originalidade de tuas rotinas — tu vens até mim, e quase te ouço com os ouvidos naturais, na brandura de teu conselho: “segue o assunto, Vinícius”).

Hoje é sábado, amanhã é domingo
A vida vem em ondas, como o mar
Os bondes andam em cima dos trilhos
E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na Cruz para nos salvar.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Não há nada como o tempo para passar
Foi muita bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo
Mas por via das dúvidas livrai-nos meu Deus de todo mal.

—Vinicius de Moraes. O dia da criação. Rio de Janeiro, 1946.

Publicado por

Sgarbe

Jornalista, produtor de mídia, fã de arte.

2 comentários sobre “Sgarbe para Cida; Carta dois”

  1. Top Vinicius. Relembrando o xará famoso. Também acredito na ressurreição, mas apenas a de Cristo. Mas independente das crenças individuais, que todos tenhamos vida eterna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *