Lava Jato após a morte

“Não fugir [da Lava Jato] de uma forma covarde”, empina sobre a morte do ex-presidente do Peru Alan García.

SATANISMO

Ao ler a A14 da Folha de sábado, fiquei enojado com o satanismo de Marcelo Bretas. Algo “o centro sou eu, a razão sou eu, eu sou, você não é”. Uma versão magistral do anúncio da tesourinha do Mickey. O juiz (por tantos desclassificado) do mundo dos vivos deu agora de julgar os mortos.

INCRÉDULO

Incrédulo quanto à fala de Bretas, liguei para um amigo que me disse:

“Não tive estômago para ler. Passei direto”. Isso, tamanho o nojo que se pode ter de uma ideia desta categoria: de que a Lava Jato é maior que o poder da vida e da morte!

O que Lúcifer, o pai da mentira, quer mesmo são filhos do tamanho de Bretas. Lembrem sempre: adorar o diabo é se achar maior que Deus. Nesse sentido, que grandioso culto é esse da Lava Jato.

Editado pelo jornalista Aroldo Murá e publicado originalmente no site dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *