Propina mantém gerências da Petrobras, suspeita PF

Políticos são pagos para manter pessoas em funções estratégicas da Petrobras, como na “Gerência Executiva de Marketing e Comercialização”, informa a Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba.

Segundo a nota oficial. “A suspeita é de que parte dos valores de propina tinham como objetivo o pagamento de intermediários políticos para a manutenção de certos empregados públicos em funções gerenciais estratégicas (…), onde se realizavam as operações de trading”.

Nesta manhã (18), foi deflagrada a Operação Sem Limites II, que é a 71ª fase da Operação Lava Jato. Ela “mira a área de Trading – compra e venda de petróleo, óleos combustíveis e derivados – da Petrobrás”. 

“Cerca de 40 policiais federais cumprem 14 ordens judiciais, sendo 12 mandados de busca e apreensão e 2 ofícios para obtenção de dados telemáticos. Também foram expedidas ordens para bloqueio de valores até o limite dos prejuízos identificados até o momento – cerca de 17 milhões de reais. (…) Os mandados estão sendo cumpridos todos no Estado do Rio de Janeiro”.

Foto: Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images.

Uma resposta em “Propina mantém gerências da Petrobras, suspeita PF”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *