Recomendado pelo fotógrafo Kaique Servo, cortei o fundo de uma embalagem de Pringles e produzi um cano para acoplar ao flash da câmera. O efeito é coisa mais linda, mas não o controlo totalmente. Às vezes, quando apontada para o lugar errado, a luz sai do quadro e fica só uma foto (bem) subexposta.

Ontem, quando meu pai e Max chegaram aqui em casa, mudei o assunto do meu treino de “Tulipa no chão” para “Homem e cachorro com look de anúncio da Gucci”. Quem me convenceu mais recentemente da linguagem que eu acho mais bonita foi o diretor Juliano Dallarmi (SS&D London, instalando sede em Curitiba).

Ato contínuo, Biel Précoma envia mensagem de áudio: “E daí, Vinícius. É você, cara? Sabe quem tá falando”. E o papo descambou para a política dos mandados compartilhados – que ouvi recentemente de Flávia Sotto Maior – , mas não sem o link para “90’s Reggae and Dancehall by Biel Précoma“.

O empresário João Racca pergunta se posso fazer takes criativos para um filme corporativo. Meu pai vê a foto dele publicada na internet e dança reggae. Horas mais tarde, Racca diz que o filme de referência é o que ele queria.

Todo santo dia é assim.

Foto: Renato Sgarbe (meu pai) e Max. Curitiba, 2020.