Objetividade marca redação do ‘Bem Paraná’, no teletrabalho

Foto: Ketut Subiyanto.

Ao ensinar que “lugar de repórter é na rua“, a professora de comunicação social Nadia Fontana abriu a primeira aula do curso de jornalismo da PUCPR, no segundo semestre de 2005. Os alunos que foram trabalhar em redações, especialmente as de rádio, logo perceberam que ela tinha razão. Não raro, as pautas estavam no caminho,… Continuar lendo Objetividade marca redação do ‘Bem Paraná’, no teletrabalho

Jornalismo pode falar de assuntos difíceis como a dor

Flor morta. Foto: Marco Ortega.

No próximo dia 29, encerro um ciclo no papel de âncora de radiojornal. A convite do criador do “Saúde e bem estar” da Rádio Cidade 670 AM de Curitiba, João Arruda, marquei ponto no ar, de segunda a sexta-feira, das 10h ao meio-dia. A experiência na rádio AM é linda, porque os ouvintes participam com… Continuar lendo Jornalismo pode falar de assuntos difíceis como a dor

Notícia origina pesquisa sobre Louceiras do Maruanum

Louceira queima panela. Foto: Célia Souza da Costa.

Célia Souza da Costa*. A notícia é uma forma incrível de popularizar assuntos, de simplificar o complexo, de expor temáticas variadas através de textos, imagens e sons. Essa é a magia do jornalismo, chegar onde não conseguimos e ecoar os acontecimentos. Como uma ciência social, o jornalismo tem uma função social de popularizar as informações,… Continuar lendo Notícia origina pesquisa sobre Louceiras do Maruanum

Pessegueiro do campo morre ao ser atingido por raio

Jorge dá aula de botânica básica.

No terreiro das galinhas, encontro Jorge vestido para a roça. Ele desfere golpes com o facão, contra os pés de guanxuma que serviriam para a saúde do cabelo quando não amontoados no papel de praga que vale mato seco. Finalidades adjacentes tendem a viver pouco no mato. Se quer guanxumas para usar no cabelo, que… Continuar lendo Pessegueiro do campo morre ao ser atingido por raio

Nós, intelectuais (eu, hein), palavreamos com o mundo

Analogia.

A profissão repórter é aprimorada nas ciências humanas. Mas logo me vem a ideia do meme da Milena que quer vender a arte dela na praia. Não nos enganemos. O jornalismo pode contornar momentos difíceis da economia e de lapso no prestígio público, se enxergar além dos views ou gargalhadas. Não se trata de estar… Continuar lendo Nós, intelectuais (eu, hein), palavreamos com o mundo

Pela volta do sublime na internet, menos pornô

O que se presume.

A infodemia é uma desgraça adjunta da Covid-19. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ignorância quanto à utilização de vacinas pode significar vida ou morte. Mas se pode tensionar um pouco essa questão, porque navegar pela internet equivale a lamber o chão de uma UTI purulenta. Nossas almas podres se tornam preocupação da… Continuar lendo Pela volta do sublime na internet, menos pornô